Metacast: O meio acadêmico e o podcast

MetacastNão sei se todos conhecem o Metacast, o “podcast sobre podcasts”. O programa é produzido por meus amigos Dudu e Pablo e aborda vários assuntos referentes à mídia podcast.

Na edição que foi ao ar hoje, eu participo do programa falando sobre as pesquisas acadêmicas ligadas a podcasts. Falo também do artigo que apresentei na ABCiber (escrito em coautoria com o Pablo) e sobre possibilidades para futuras pesquisas na área. É um bate-papo descontraído que, espero, seja útil para quem quiser se envolver (ou já está envolvido) com pesquisas acadêmicas.

Ou, pelo menos, para que o pessoal que “odeia” a Academia possa desmistificar um pouco a “coisa chata” que todos acham que é uma pesquisa acadêmica.

ABCiber 2009 – dia 1

O primeiro dia do 3º Simpósio Nacional ABCiber foi bastante proveitoso. Infelizmente, perdi a palestra com Ollivier Dyens, que abriu o evento de manhã, mas consegui chegar a tempo da primeira rodada de sessões científicas. Bom… Eu tinha mesmo que chegar a tempo, já que, além de ter que me apresentar nessa primeira rodada, ainda fui pego de surpresa por um e-mail dos organizadores do congresso que me “elegeram” coordenador da minha sessão.

Apresentei o artigo O crescimento do podcast: origem e desenvolvimento de uma mídia da cibercultura, feito com coautoria com Pablo de Assis. As demais apresentações foram sobre Twitter e devo confessar que, apesar de ter um certo receio quanto a pesquisas de temas “da moda”, todos os trabalhos que vi nessa sessão foram bons e pertinentes (juro que não estou falando só porque o pessoal anotou meu Twitter e pode querer me dar uns cascudos amanhã; os artigos realmente foram bons).

Abaixo, a foto de todos os apresentadores reunidos para a sempre fatídica hora das perguntas, que acabou sendo um agradável bate-papo. A foto está meio tremida, mas eu sou a mancha na extrema direita.

ABCiber 2009 - eixo 5 - sessão 1 - Laíza Felix, Gabriela Zago, Raphael Garcia, Diego Casaes e Lucio Luiz

A segunda rodada de sessões também foi interessante. Eu encontrei três apresentações ligadas (em maior ou menor grau) à cultura participatória. Tudo bem que uma das pesquisadoras usou a expressão “cultura participativa” ao invés de “cultura participatória” (qualquer hora explico minha preferência e implicância por uma e por outra) e as demais não falaram textualmente sobre isso, mas foi bom ver que mais pessoas estão pesquisando sobre o assunto. Se não me falha a memória, na ABCiber 2008 só havia o meu artigo e mais um sobre essa questão.

Vale o registro de que o coffee break foi muito bom (especialmente graças a meu posicionamento estratégico diante da mesa dos pãezinhos). No final do dia ainda teve um coquetel com lançamento de livros, mas como já estava cansado (e não bebo) acabei voltando mais cedo para o hotel (o que me deu tempo de jantar no Black Dog, mas como essa não foi uma experiência acadêmica, melhor não citar por aqui).

ABCiber 2009

Cartaz do 3º Simpósio Nacional ABCiberNos dias 16, 17 e 18 de novembro, vai ocorrer a terceira edição do Simpósio Nacional ABCiber, uma iniciativa da Associação Brasileira de Pesquisadores em Cibercultura (ABCiber).

A ABCiber se define como “uma entidade científica e cultural, sem fins lucrativos, com a missão principal de congregar pesquisadores(as), Grupos de Pesquisa, instituições e/ou entidades brasileiras em torno de temáticas pertinentes ao campo de estudos sobre o fenômeno da cibercultura (nos termos de seu Estatuto); e de nuclear e consolidar esse campo interdisciplinar de estudos, contribuindo para o desenvolvimento científico, tecnológico e cultura do país”.

O 3º Simpósio Nacional ABCiber vai ser organizado pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) de São Paulo e terá apresentações artísticas e científicas ligadas à cibercultura. Eu vou estar lá (apresentando um artigo, inclusive) e pretendo fazer uma “minicobertura” do evento (ao menos das sessões das quais vou participar).

Bem-vindo

Mais um blog acadêmico surge na internet… ei, calma, não volta pro Google, esse é um blog acadêmico mas não é chato, eu juro!

Ao menos vou tentar não torná-lo chato.

Antes de mais nada, vou me apresentar: Meu nome é Lucio Luiz, sou jornalista, coordenador de uma escola, podcaster e metido a roteirista de quadrinhos. Ah, sim, também sou pesquisador acadêmico.

Acabei de concluir meu mestrado na área de Educação e tenho participado de vários congressos, apresentando artigos relacionados à cultura participatória (especialmente sobre fan fictions e a “cultura de fã” como um todo).

Embora esse seja meu foco principal, também faço pesquisas ligadas às áreas de podcasting e quadrinhos. Na verdade, todos esses assuntos se relacionam, então nem é tão esquizofrênico quanto possa parecer.

Criei esse blog para concentrar meus artigos e também para ter um espaço extra para discutir esses assuntos com todos que tenham algum interesse, especialmente porque há poucos sites em português que abordem pesquisas acadêmicas exclusivamente nessas áreas (se você conhecer algum bom site, agradeço se me avisar para que eu o relacione na lista de indicações de navegação à direita).

Sei que ainda tenho muito o que aprender e crescer no meio acadêmico, mas achei que poderia ser cara-de-pau e dar minha contribuição mesmo assim ;)

Também sou membro do portal e podcast Papo de Gordo, que trata sobre saúde e comportamento de maneira divertida (e nem por isso pouco séria). Além disso, mantenho o blog de humor Inutiologia, no qual falo as loucuras que não seriam viáveis nesse blog, que pretendo que seja sério (e nem por isso pouco divertido).

Minha intenção é discutir assuntos ligados às áreas que pesquiso e interagir com outros pesquisadores e demais curiosos para ajudar a crescer a pesquisa acadêmicas nessas áreas que, com exceção dos quadrinhos, ainda são pouco exploradas.

Também farei uma espécie de “cobertura” dos eventos acadêmicos dos quais participarei, tentando apresentar um conteúdo interessante relativo aos temas que abordo.

Essencialmente, é isso. Bem-vindo a esse mais novo blog acadêmico. Juro que ele não será chato. Se for, pode puxar minha orelha.